Quinta-feira, 11 de Junho de 2009

Tem piada ler o Insurgente. Onde já se conspira a vitória do PSD nas legislativas e o que fazer depois disso, vejam lá que, face ao actual estado do país, até já dizem que vão ter que criar descontentamento na população devido às reformas que vão ter que implementar e quem sabe aumentar os impostos. Ena, se calhar isto faz-me lembrar a situação em que o PS encontrou o país, depois de uma ruinosa administração PSD/PP, sendo precisamente essa a forma de actuação do Partido Socialista: pôr as contas em ordem e pôr em prática várias reformas. E, se bem se recordam, pensem lá quem é que se foi aproveitando de todas essas medidas para tirar proveito desse descontentamento?

 

O melhor ainda não chegou (agora na caixa dos comentários). Argumento contra a maioria absoluta de José Sócrates: não a pode pedir, tem é que respeitar a vontade do eleitorado. Argumento curioso, não fosse eu ler o que por lá escreve e que já chega a este ponto: se não obtiverem a maioria absoluta, têm que dramatizar e mandar o governo abaixo até a conseguirem. Contraditório? Não mais do que a postura de Rangel sobre o imposto europeu ou a lei do financiamento dos partidos... Pelo menos já sabemos o que esperar da direita portuguesa.

 

Continuando no Insurgente. É incrível como continuam a querer fazer entender que o PS domina a comunicação social. Acreditar que a TVI, o Público ou o Sol, por exemplo, são todos meios socialistas, só me leva a concluir que não devem viver no mesmo mundo que eu.

 

Esta conversa parece-me mais conversa de "mau pagador" do que outra coisa qualquer. Ainda nem lá chegaram, já estão a dar desculpas para uma possível saída. O único meio de comunicação que conheço ao PS, é o Acção Socialista. Está nos links, podem visitar.

 

PS: pensar em PSD e governo na mesma frase...a imagem que me vem à cabeça é má de mais.



Luís Pereira às 14:25 | link do post

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar...
 
Artigos recentes

Progressividade fiscal e ...

Cidadania europeia: o nov...

O progresso...

@ convidad@ da semana - J...

O Homem a fazer de Deus

O gineceu político do PSD

@ convidad@ da semana - C...

Os tiros nos pés do PS

A Democracia Hoje

NotíciasJS - 1.º Noticiár...

Jovem Socialista - Jornal...

Assim vai Cuba...

@ convidad@ da semana - P...

Jovem Socialista Poadcast...

JS em Entrevista - Progra...

Quid iuris?

@ convidad@ da semana - P...

Repugnante

Curtas

@ Convidad@ da Semana - J...

EUA: fez-se história

@ convidad@ da semana - M...

PSD... ou PCP ? ou o desn...

Democracia ao estilo do P...

A pérola II

A pérola

A Europa continua a ser v...

Futurália

"Virou-se o feitiço contr...

Lendo as notícias de hoje...

Frase do dia

MMG

Edições impressas do Jove...

Acompanhe todas as notíci...

Princípios da Administraç...

Da série "aos 10 anos já ...

Da série "aos 10 anos já ...

Da série "aos 10 anos já ...

Neda,

Mutilação Genital Feminin...

Orgulho em ser socialista

Dos EUA...

Por uma política com "P" ...

É da vida...

Notícias que interessam: ...

aCima & aBaixo

Ensino Superior com mais vagas

Começa amanha a primeira fase de
acesso ao ensino superior público
com mais 4% de vagasque em 2009.
Vão abrir mais 2068 vagas, sobretudo
nos horarios pós-laborais.
O Governo assinou em Janeiro
um “contrato de confiança” no qual
garante mais fundos com o
compromisso de que se aumentem
as oportunidades de
licenciatura e mestrados à
população activa.
É uma aposta no ensino superior
que não deixa de ter em conta a
produtividade e crescimento do país,
gerando mão-de-obra mais qualificada.

Deputados ausentes

Em nove meses de legislatura
podem ser contabilizadas 652 faltas.
Mesmo após o aviso do presidente
da Assembleia da República, Jaime
Gama, em que diz que não se aceitam
"deputados em part-time" contnua a
existir uma media elevada
de faltas, muitas delas injustificadas.
A assiduidade é um dos factores
que mais descredibiliza os deputados,
e toda a politica representativa.
A bancada com mais faltas é
a do PSD, que é responsável por cerca
de metade das faltas desde o início
da legislatura, seguida pelo CDS.
Os motivos apresentados são
variados mas as faltas continuam
a incidir sobre feriados com
pontes, como o 10 de Junho.
A assiduidade tem, contudo,
vindo a melhorar, com mais controlo
por parte do presidente da Assembleia.



Inês Mendes, 12/07/2010
links
Sotão

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds