Domingo, 2 de Agosto de 2009

Numa altura em que muitos de nós têm já a cabeça no processo eleitoral autárquico (apesar de as eleições legislativas serem primeiro), nomeadamente na elaboração de um projecto político socialista para os nossos concelhos, definindo, apresentando e explicando as propostas para os nosso municípios, penso ser oportuno falar-vos de cliclovias.

 
As vantagens da existência de ciclovias são imensas, desde as ambientais às de saúde pública, das de mobilidade às de lazer. Ainda assim, julgo serem vistas ainda como algo dispensável, não-estrutural no desenvolvimento de uma cidade moderna. Na minha opinião nada mais errado! As ciclovias podem constituir um novo paradigma nas cidades, basta que para isso exista a ambição e uma estratégia bem definida de ligação de todas as zonas com condições (tanto em termos de inclinação, como em termos de aproveitamento de passeios e tráfego de peões) de suportar ciclovias.
 
Se hoje é já possível ir de bicleta da Pontinha, na Amadora, a Sete Rios, em Lisboa, em apenas 20 minutos imagine-se as potencialidades deste meio de transporte ligando outras zonas periféricas de Lisboa ao centro desta cidade. É óbvio que para tal acontecer é absolutamente necessário dotar de condições de circulação, estacionamento e segurança as ciclovias. Mas se isso acontecer, ou seja, se tudo isto for projectado com pés e cabeça (já agora de modo integrado em termos intermunicipais) e não aleatoriamente estou plenamente convicto que as bicicletas poderão ser uma alternativa real aos automóveis para muitos portugueses que trabalham nos grandes centros urbanos, que deixarão o(s) carro(s) em casa, com todos os benefícios que isso acarreta para si em termos de mobilidade e economia e para os outros em termos de ambiente.
 
Bem sei que nem todas os municípios têm condições de realização de ciclovias mas onde estas condições existam não percebo a razão para se deixar de investir cada vez mais. É um investimento de futuro em que todos ganham!
 
PS: António Costa fez em dois anos 28 km de ciclovias. Quantos fez Santana em três?


Pedro Silveira às 00:59 | link do post | comentar

1 comentário:
De Nuno Castelo-Branco a 10 de Agosto de 2009 às 22:08
Ó jovem socialista, então está de férias e não comenta o assunto do dia? eheheheheeh!


Comentar post

pesquisar...
 
Artigos recentes

Progressividade fiscal e ...

Cidadania europeia: o nov...

O progresso...

@ convidad@ da semana - J...

O Homem a fazer de Deus

O gineceu político do PSD

@ convidad@ da semana - C...

Os tiros nos pés do PS

A Democracia Hoje

NotíciasJS - 1.º Noticiár...

Jovem Socialista - Jornal...

Assim vai Cuba...

@ convidad@ da semana - P...

Jovem Socialista Poadcast...

JS em Entrevista - Progra...

Quid iuris?

@ convidad@ da semana - P...

Repugnante

Curtas

@ Convidad@ da Semana - J...

EUA: fez-se história

@ convidad@ da semana - M...

PSD... ou PCP ? ou o desn...

Democracia ao estilo do P...

A pérola II

A pérola

A Europa continua a ser v...

Futurália

"Virou-se o feitiço contr...

Lendo as notícias de hoje...

Frase do dia

MMG

Edições impressas do Jove...

Acompanhe todas as notíci...

Princípios da Administraç...

Da série "aos 10 anos já ...

Da série "aos 10 anos já ...

Da série "aos 10 anos já ...

Neda,

Mutilação Genital Feminin...

Orgulho em ser socialista

Dos EUA...

Por uma política com "P" ...

É da vida...

Notícias que interessam: ...

aCima & aBaixo

Ensino Superior com mais vagas

Começa amanha a primeira fase de
acesso ao ensino superior público
com mais 4% de vagasque em 2009.
Vão abrir mais 2068 vagas, sobretudo
nos horarios pós-laborais.
O Governo assinou em Janeiro
um “contrato de confiança” no qual
garante mais fundos com o
compromisso de que se aumentem
as oportunidades de
licenciatura e mestrados à
população activa.
É uma aposta no ensino superior
que não deixa de ter em conta a
produtividade e crescimento do país,
gerando mão-de-obra mais qualificada.

Deputados ausentes

Em nove meses de legislatura
podem ser contabilizadas 652 faltas.
Mesmo após o aviso do presidente
da Assembleia da República, Jaime
Gama, em que diz que não se aceitam
"deputados em part-time" contnua a
existir uma media elevada
de faltas, muitas delas injustificadas.
A assiduidade é um dos factores
que mais descredibiliza os deputados,
e toda a politica representativa.
A bancada com mais faltas é
a do PSD, que é responsável por cerca
de metade das faltas desde o início
da legislatura, seguida pelo CDS.
Os motivos apresentados são
variados mas as faltas continuam
a incidir sobre feriados com
pontes, como o 10 de Junho.
A assiduidade tem, contudo,
vindo a melhorar, com mais controlo
por parte do presidente da Assembleia.



Inês Mendes, 12/07/2010
links
Sotão

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds