Quinta-feira, 30 de Abril de 2009

Foi com esta frase que Manuela Ferreira Leite se pronunciou sobre os momentos eleitorais que se aproximam. Que melhor forma do que defender esses mesmos interesses? Procurar o conflito barato e de baixo nível contra o Partido Socialista. Falo do caso da escolha do novo Provedor de Justiça, que já tem data marcada de eleição: dia 22 de Maio.

 

Num misto de descrédito, irresponsabilidade e aproveitamento político, o PSD foi sempre bloqueando a escolha do novo provedor, arrastando um mandato que já tinha acabado por mais 9 meses. Esta confusão teve ainda o seu pico há uns dias quando Paulo Rangel, líder Parlamentar do PSD, disse que Jorge Miranda, o ilustríssimo professor de Direito, uma personalidade reconhecida pelos seus valores éticos e intelectuais, candidato pelo PS, não mereceria o apoio do PSD ao passo que o candidato do PCP seria um candidato muito credível.

 

Falta de credibilidade demonstra Paulo Rangel e Manuela Ferreira Leite. Para além de ofensivas, estas declarações demonstram o desnorte que reina no PSD. É muito triste que os partidos não consigam reconhecer o mérito e capacidade de uma pessoa, que curiosamente ultimamente nem está ligado à política, que dá todas e mais algumas garantias que cumpriria como ninguém este cargo, como demonstra o seu curriculum de excelência. O único pecado de Jorge Miranda, terá sido o facto de ser proposto pelo PS e ficar no centro das atenções daqueles que se movem por um "ódio" cego contra tudo o que envolva o Partido Socialista. Paulo Rangel, um licenciado em Direito, devia melhor do que qualquer outro saber que Jorge Miranda dá mais do que garantias de qualidade e profissionalismo.

 

Espero que os partidos façam uma pequena reflexão do que tem sida a sua postura neste caso e que tomem consciência que, de facto, Jorge Miranda é a melhor escolha. Então sim, pelos melhores interesses de Portugal. Esta seria a verdadeira política de seriedade ou verdade e não de engano dos portugueses.



Luís Pereira às 12:22 | link do post | comentar

pesquisar...
 
Artigos recentes

Progressividade fiscal e ...

Cidadania europeia: o nov...

O progresso...

@ convidad@ da semana - J...

O Homem a fazer de Deus

O gineceu político do PSD

@ convidad@ da semana - C...

Os tiros nos pés do PS

A Democracia Hoje

NotíciasJS - 1.º Noticiár...

Jovem Socialista - Jornal...

Assim vai Cuba...

@ convidad@ da semana - P...

Jovem Socialista Poadcast...

JS em Entrevista - Progra...

Quid iuris?

@ convidad@ da semana - P...

Repugnante

Curtas

@ Convidad@ da Semana - J...

EUA: fez-se história

@ convidad@ da semana - M...

PSD... ou PCP ? ou o desn...

Democracia ao estilo do P...

A pérola II

A pérola

A Europa continua a ser v...

Futurália

"Virou-se o feitiço contr...

Lendo as notícias de hoje...

Frase do dia

MMG

Edições impressas do Jove...

Acompanhe todas as notíci...

Princípios da Administraç...

Da série "aos 10 anos já ...

Da série "aos 10 anos já ...

Da série "aos 10 anos já ...

Neda,

Mutilação Genital Feminin...

Orgulho em ser socialista

Dos EUA...

Por uma política com "P" ...

É da vida...

Notícias que interessam: ...

aCima & aBaixo

Ensino Superior com mais vagas

Começa amanha a primeira fase de
acesso ao ensino superior público
com mais 4% de vagasque em 2009.
Vão abrir mais 2068 vagas, sobretudo
nos horarios pós-laborais.
O Governo assinou em Janeiro
um “contrato de confiança” no qual
garante mais fundos com o
compromisso de que se aumentem
as oportunidades de
licenciatura e mestrados à
população activa.
É uma aposta no ensino superior
que não deixa de ter em conta a
produtividade e crescimento do país,
gerando mão-de-obra mais qualificada.

Deputados ausentes

Em nove meses de legislatura
podem ser contabilizadas 652 faltas.
Mesmo após o aviso do presidente
da Assembleia da República, Jaime
Gama, em que diz que não se aceitam
"deputados em part-time" contnua a
existir uma media elevada
de faltas, muitas delas injustificadas.
A assiduidade é um dos factores
que mais descredibiliza os deputados,
e toda a politica representativa.
A bancada com mais faltas é
a do PSD, que é responsável por cerca
de metade das faltas desde o início
da legislatura, seguida pelo CDS.
Os motivos apresentados são
variados mas as faltas continuam
a incidir sobre feriados com
pontes, como o 10 de Junho.
A assiduidade tem, contudo,
vindo a melhorar, com mais controlo
por parte do presidente da Assembleia.



Inês Mendes, 12/07/2010
links
Sotão

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds